2 de novembro de 2008

Fazes-me falta...

SEMPRE! Mas aos Domingos, sinto mais forte.
De há muito que fujo a hábitos, regras e dependências. Sim, e claramente analisando percebo que é numa de auto-defesa. Fujo ao "conforto" da repetição para não sentir a falta quando não se repete.
Por muito que tenha fugido.... Domingo, será sempre sinónimo de petisco lá em casa, chego ao toque do sino da igreja e fico até ao passeio ao jardim após a ida ao café onde tu me falas de todos os teus sonhos gigantes que estão quase a acontecer. Hoje é Domingo! Não houve petisco, não fui lá a casa, não há sinos de igrejas por perto, o jardim... nem sei se o outono já lá chegou, não fui ao café, não conversei contigo nem fiquei a saber dos teus últimos sonhos. Hoje é Domingo e NÃO ESTÁS CÁ! Hoje é Domingo e FAZES-ME FALTA!

3 comentários:

Mónica sofia disse...

Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói,
A antiga e errônea fé,
O ontem que dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.*


Fernando Pessoa
*A lembrança será sempre do seu sorriso, e da sua tranquilidade em estar na vida...Bjs carregados de carinho da prima que gosta muito de ti.:)

laurinda disse...

Mónica ouvi este seu grito e vim cá ver como estava... Imagino que o tempo corra a desfavor quando temos saudades de alguém que não volta e que o tempo cave ainda mais fundo esse abismo de saudades. Por um lado é assim que as coisas são mas, por outro, não podemos deixar de acreditar na Yourcenar quando diz que o tempo é um grande escultor. É mesmo! Vi que vai viajar com os seus amigos feitos no viet, que sorte já estar nesse countdown. Ou antes, que inveja! Um abraço enorme. Adoro esta proximidade entre blogs

ML disse...

Obrigada pela força...